Para atender aos processos industriais, a Klabin utiliza diferentes tipos de insumos orgânicos e inorgânicos. Uma das formas de atuação da Companhia é reduzir a utilização de materiais não renováveis, sem afetar a eficiência do processo.

Materiais usados, por peso ou volume (mil t) |GRI EN1|


Materiais indiretos 2010 2011 2012 2013
Madeira para processo 5.850 6.048 6.233 6.183
Aparas compradas de mercado (reciclado) 220 220 135 206
Polpa comprada (celulose e CTMP) 52 44 28,4 21,1
Total 6.122 6.312 6.396 6.410



Materiais não renováveis 2010 2011 2012 2013
Ácido sulfúrico 9,4 7,3 6,58 6,48
Soda cáustica 24,7 27 27 27,1
Sulfato de sódio 19,5 19 16,57 12,1
Sulfato de alumínio 22,6 26,5 25,4 26,5
Cal virgem 38,3 26,7 29,6 53,8
Caulim 23,3 15 21,3 21,7
Total 137,8 121,5 126,45 147,68



Materiais provenientes de reciclagem |GRI EN2|* 3,5% 3,4% 2,2% 3,3%

*Aparas compradas de mercado sobre total de produção da empresa, considerando madeira para processo e polpa comprada






Efluentes e resíduos


A gestão de efluentes e resíduos é realizada pela área de Meio Ambiente, matricialmente ligada às unidades industriais. A Klabin monitora todas as suas áreas de disposição e triagem de resíduos para assegurar que não haja contaminações do solo e de lençóis freáticos.

Todo resíduo gerado pelas unidades industriais passa por um processo de avaliação quanto ao seu reaproveitamento. Como última alternativa, o material não utilizado é encaminhado à destinação final (aterro).

As Estações de Tratamento de Efluentes das fábricas de papéis garantem uma remoção acima de 80,0 % de demanda bioquímica de oxigênio, assegurando o atendimento dos requisitos legais e emissões abaixo dos limites estabelecidos para o lançamento de seus efluentes, que são monitorados em todas as unidades de operação da Klabin. Este procedimento é gerenciado por meio de relatórios e análises laboratoriais periódicas que garantem a qualidade do lançamento desses efluentes em corpos hídricos em relação à legislação e ao equilíbrio das bacias hidrográficas locais. Os rios que recebem os efluentes têm a qualidade de água montante e jusante monitoradas.

Em 2013, a Klabin recebeu uma infração administrativa imposta pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, com imposição de multa de R$ 2.784,52, por “Produzir o corretivo de acidez – Lama de Cal –, registrado no Mapa com teor de seu componente Óxido de Magnésio fora do limite de tolerância estabelecido, em relação à garantia registrada”. Para garantir a correção dos dados, é realizado acompanhamento mensal da qualidade da lama de cal, antes dela ser liberada para venda. |GRI EN28|

Descarte total de água, por qualidade e destinação |GRI EN21|
2010 2011 2012 2013
Destinação
Estação de Tratamento de efluentes (m³) 53.009.332,88 54.060.768,92 55.193.932,00 53.414.395,97
Método de tratamento
Processo físico-químico, aeração e lodos ativados (m³) 53.009.332,88 54.060.768,92 55.193.932,00 53.414.395,97
Qualidade dos efluentes Klabin Papéis
Demanda Química de Oxigênio (DQO) (mg/l) 192,94 198,65 142,70 167,08
Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO) (mg/l) 47,22 35,84 18,80 28,19






Peso total de resíduos, por tipo e método de disposição (t) |GRI EN22|


Resíduos perigosos (em toneladas) 2012 2013
Reciclagem 649,43 133,81
Incineração (ou uso como combustível) 129,13 51,51
Aterro Classe I 178,83 206,31
Descontaminação 48,94 38,19
Total 1.006,32 429,82


Resíduos não perigosos 2012 2013
Compostagem 29.826,25 30.649,67
Reciclagem 108.651,11 118.731,6
Recuperação 104,86 95,22
Incineração (ou uso como combustível) 4.958,24 4.950,77
Aterro sanitário 767,89 862,75
Armazenagem no local 15.956,37 43.560,58
Aproveitamento energético 512.076,83 765.987,23
Aproveitamento agrícola/florestal 118.510,47 116.000,26
Aterro Classe II-A 66.333,63 50.485,92
Venda como corretivo de solo 71.957,39 67.933,19
Aterro Classe II-B 1.557,55 2.984,81
Total 930.700,58 1.202.241,98




Resíduos perigosos em 2013

Resíduos não perigosos em 2013