Reestruturação integra atividades das unidades florestal e industrial, criando sinergias e novos métodos de trabalho.

A inovação é um pilar importante para a Klabin assegurar a manutenção de sua competitividade, a liderança no setor e o crescimento com sustentabilidade.

Em 2013 a Companhia promoveu uma reestruturação na área de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D). Uniu as frentes florestal e industrial e criou a gerência corporativa de P&D&I (Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação) na Diretoria de Planejamento, Projetos e Tecnologia.

Um dos objetivos da nova área é a identificação de tecnologias que permitam a utilização cada vez maior de fibras curtas de eucalipto na produção de seus papéis, mantendo as mesmas características de resistência e qualidade. Além disso, estuda o desenvolvimento de espécies de eucalipto e pínus que se adaptem melhor às condições climáticas das áreas florestais, buscando o aumento da produtividade em volume de celulose por hectare. A área de P&D&I também atua com foco na cadeia de valor da Klabin para avaliar as necessidades e expectativas dos clientes, criar soluções para diminuição de custos e desenvolver novos produtos com fornecedores.

Um exemplo do resultado do trabalho direcionado para a cadeia de valor foi o desenvolvimento de embalagens específicas para exportação de frutas para a Europa, com significativos atributos.

A pesquisa está direcionada para os estudos de melhoramento genético das espécies florestais utilizadas, para o desenvolvimento de seus produtos e também no desenvolvimento de nanotecnologia e biorrefinaria, entre outros, desenvolvidos em parceria com importantes iniciativas e institutos de pesquisas no Brasil e no exterior.

A Klabin mantém uma rede de cooperação com diversas Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs), dentro e fora do País.



Parceiros no Brasil:
  • Centro Tecnológico de Embalagem (Cetea, Campinas – SP);
  • Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP, Piracicaba – SP);
  • Universidades Estaduais de Santa Catarina (Udesc) e do Centro-Oeste – Irati – PR (Unicentro);
  • Universidades Federais do Rio Grande do Sul (UFRGS), do Paraná (UFPR) e de Viçosa – MG (UFV).
Parceiros no exterior:
  • Instituto Innventia e Universidade de Lund, ambos na Suécia;
  • VTT Technical Research Centre, na Finlândia;
  • Universidade de Toronto, no Canadá.



Atributos das embalagens para exportação de frutas:

  • eficiência energética para refrigeração dos produtos;
  • maior resistência ao empilhamento;
  • maximização do espaço útil interno.
  • atendimento aos requisitos legais, sanitários e certificações.

Além disso, esta caixa foi adaptada para fácil manuseio e montagem por pequenos produtores exportadores.

Nova área de
P&D&I avalia as
necessidades e
expectativas dos
clientes, cria soluções
para reduzir custos
e desenvolve novos
produtos com
fornecedores.